Assistência

À Distância

24 Horas

Disponíveis

12 sintomas de um computador infetado – como se proteger

A saúde é sempre o mais importante na nossa vida e isso também se aplica aos nossos computadores. Aspiramos sempre a que tudo funcione no seu melhor. Sem surpresas que prejudiquem a normal execução das nossas tarefas do dia a dia. Queremos poder navegar tranquilamente na internet com toda a segurança. Basicamente queremos que tudo a flua e funcione sem complicações. Tal como diz a ditado popular, mais vale prevenir do que remediar e o mesmo também se aplica ao mundo tecnológico em expansão, cada vez mais presente no nosso quotidiano.

Neste artigo irá descobrir alguns sintomas que indicam problemas com o seu computador e que, se for a tempo, conseguirá perfeitamente evitar. Conheça também quais são as medidas fáceis que pode tomar, para evitar grandes dissabores no futuro. Todos queremos navegar na internet em segurança e, tal como na vida, existem muitas coisas que não conseguimos controlar. Por isso, cabe a cada um de nós fazer tudo o que for possível para contribuir para uma Internet segura e que nos facilita a vida, em vez de nos criar mais problemas.

Da nossa parte, no Informatico.pt estamos sempre empenhados em esclarecer os nossos clientes e a informar os nossos leitores sobre as boas práticas na utilização da tecnologia. Por isso, continue a ler este artigo e descubra como consegue detetar problemas no seu computador e como os consegue evitar. Depois, é só pôr em prática estas dicas simples e muito úteis. Lembre-se que o aparecimento de problemas só depende de si. Aliás, é nesta altura, em que ainda tem tudo a funcionar, que pode utilizar o seu conhecimento para evitar futuras dores de cabeça. Vamos lá então!

12 sintomas de um computador infetado - como se proteger 1

 

Faça parte da solução e evite os problemas

Como é um utilizador da Internet, certamente que reconhece que o seu computador é cada vez mais importante nas suas tarefas diárias, sejam elas pessoais ou profissionais. Infelizmente, os vírus e os malwares são inimigos que aparece na internet à espreita de utilizadores descuidados e distraídos. Por isso, não seja mais uma vítima e evite impactos negativos no seu negócio e na sua vida pessoal.

De facto, existem alguns sinais que indicam que o seu computador pode estar infetado, como, por exemplo, sem qualquer motivo aparente, o equipamento começa a ter um comportamento estranho, a bloquear e a ficar muito lento. Recomendamos que esteja sempre atento a estes sinais, e que se proteja, instalando software antivírus e seguindo sempre as boas práticas para conseguir ter uma navegação segura.

 

Quais são os sintomas de um computador infetado?

Infelizmente, as infeções informáticas tornaram-se cada vez mais comuns, sobretudo porque os criminosos encontram cada vez mais formas diferentes de conseguirem disfarçar os seus ataques de malware. É por isso que muitas vezes é um pouco difícil conseguir saber se realmente o nosso sistema está infetado. Mas nem tudo é mau, na verdade, existem alguns sinais que os equipamentos nos dão e que nos podem ajudar.

Ou seja, se detetar algum destes sinais de infeção, deve tomar as medidas necessárias para evitar que o problema piore ou então para recuperar aquilo que já perdeu. Se tiver dúvidas recomendamos que consulte um informático da sua confiança. Certamente que ele o irá ajudar a resolver o problema do seu sistema e a melhorar a sua cibersegurança evitando futuros que possam aparecer:

 

1 – Aparecem muitas Janelas Pop-Up

O Adware é outro tipo de malware que por vezes nos “bombardeia” com anúncios enquanto navegamos na internet. Sobretudo quando visitamos sites menos fidedignos como sites de filmes e programas gratuitos. Lembre-se sempre que não há almoços grátis. O atacante, para o conseguir executar, aproveita-se das vulnerabilidades do browser e das aplicações que temos instaladas no nosso equipamento e que já estão infetadas.

A publicidade que nos aparece em forma de pop-up não só é irritante e nos distrai daquilo que queremos fazer, como também é utilizada para espalhar outros tipos de malware. Uma solução rápida que recomendamos aos nossos clientes e leitores, e que muitas vezes é suficiente para resolver este tipo de problemas, é descarregar e instalar um plugin ou uma extensão para o seu navegador que seja capaz de bloqueador os anúncios publicitários. Com isso irá conseguir impedir o aparecimento de anúncios enquanto navega pelos sites da internet.

 

12 sintomas de um computador infetado - como se proteger 2

 

2 – Computador fica mais lento que o normal

Se notar que, sem qualquer motivo aparente, subitamente o desempenho do seu computador piorou, isso pode ser um sinal de que o seu equipamento está infetado com malware. Isso acontece porque alguns tipos de malware utilizam muita memória RAM do nosso computador, e deixam poucos recursos para que os programas legítimos sejam executados normalmente.

De facto é um ataque que pode fazer com que o seu computador fique mais lento, especialmente quando utiliza programas como o seu navegador de Internet ou até mesmo o seu sistema operativo. Para conseguir verificar se o seu computador está ou não infetado, pode descarregar um programa antivírus que seja fiável e sobretudo genuíno. Se esse programa encontrar malware, irá certamente limpar o ficheiro ou os ficheiros que estejam infetados, colocá-los em quarentena ou então apagá-los definitivamente.

Normalmente recomendamos o programa MalwareBytes para este tipo de pesquisas e desinfeções por ser muito confiável, simples e rápido a resolver os problemas.

 

3 – É redirecionado para outros sites

Os sequestradores de navegadores são um tipo cada vez mais comum de malware. Basicamente redirecionam a página principal do navegador do utilizador para outro website diferente, normalmente menos seguro. Na verdade, isso consegue ser feito com ou sem o conhecimento do utilizador.

Para conseguir corrigir estes problemas do seu browser causados por malware, o melhor será desinstalar completamente o navegador infetado do seu equipamento e procurar por outros malwares que possam estar instalados. Depois de ter a certeza que o equipamento está limpo, então já pode voltar a descarregar o programa de navegação de preferência do site genuíno do fabricante.

Na verdade, as probabilidades deste tipo de malware voltar a infetar o seu equipamento são reduzidas, mas para isso não deve utilizar um browser ultrapassado como o Internet Explorer e o browser que utilizar deve mantê-lo sempre atualizado.

 

4 – Surgem problemas com o antivírus

Pode parecer-lhe estranho, mas alguns malwares procuram atacar o seu software antivírus. O seu objetivo principal é desativar os seus sistemas de proteção e infetar o seu computador. Nestes casos, normalmente o antivírus deixa de conseguir fazer a busca e a limpeza de malware ou até mesmo desaparecer completamente do sistema.

Lembramos que se um computador ficar infetado com malware, é muitas vezes necessário reinstalar completamente o sistema operativo porque só isso nos consegue garantir que a infeção foi completamente removida. Se achar necessário procure um técnico de informática da sua confiança porque o software antivírus é essencial para a proteção do seu computador.

 

5 – Os periféricos ficam com vida própria

De repente, o rato, a câmara, o microfone ou outro periférico do seu computador, começam a trabalhar sozinhos sem que esteja a fazer nada. De facto, isso pode ser um forte indício de que alguma coisa de grava se passa com a segurança do seu equipamento.
Ou seja, se descobriu que o seu computador começa a funcionar sozinho às 2 da manhã, então isso é um sinal sério de foi vítima de um ataque informático que deve procurar resolver o mais rápido possível.

Por outro lado, se estiver apenas a navegar normalmente e notar algumas paragens ou alterações subtis, certifique-se primeiro que não há nenhum problema com o seu hardware antes começar a tirar conclusões precipitadas. Por exemplo, a acumulação de pó no rato pode causar movimentos e cliques aleatórios. Ou então, um cabo USB com algum tipo de defeito pode fazer com que a sua webcam se ligue e desligue sozinha.

O importante é manter a calma e não entrar em paranoia. Se considerar necessário peça ajuda a um técnico informático especializado para fazer testes ao seu equipamento.

 

12 sintomas de um computador infetado - como se proteger 3

 

6 – Aparecem aplicações e programas estranhos

Tenha atenção se lhe aparecerem programas novos no seu computador, sobretudo se tem a certeza que não instalou. Ou então se lhe aparecerem novas barras de ferramentas no browser ou novas aplicações na loja do windows. Esses programas são conhecidos como PUP, ou seja, programas potencialmente indesejados ou então como PUA, aplicações potencialmente indesejadas. Muitas vezes são utilizados por pessoas, ou entidades, bem ou mal intencionadas, para conseguirem monitorizar o seu tráfego para lhe mostrarem anúncios publicitários exatamente daquilo que anda à procura na internet.

Outra forma de conseguirmos identificar este tipo de ameaça é quando a nossa página principal do browser nos redireciona para outra página ou para um site desconhecido. Sim, essa alteração da página principal pode ser um sintoma de que o seu computador está de alguma forma infetado com um PUA ou um PUP.

A melhor maneira de se conseguir evitar a instalação de PUP’s é descarregar apenas programas e aplicações dos sites oficiais do seu criador. Se lhe aparecer uma oferta na internet para descarregar gratuitamente um programa, o melhor mesmo é ler o contrato da licença e os termos e condições do serviço antes de fazer o download para o seu equipamento. Assim, irá perceber se aquilo que instala no seu computador faz ou não faz o que realmente pretende. Reforçamos que infelizmente não há almoços grátis e que ninguém dá nada a ninguém. Por isso, se for de graça, no mínimo desconfie.

 

7 – Os programas e aplicações desligam-se sozinhos

Alguns tipos de malware, para conseguirem funcionar, além de consumirem muita largura de banda da sua rede, também gastam os seus dados do serviço de internet e os recursos do seu computador como a memória RAM e a capacidade de processamento. É por isso que, às vezes, um programa utilizado habitualmente para trabalhar, de repente, desliga-se. Aliás, se o seu computador começar a bloquear com muita regularidade, isso pode ser um sintoma de que está infetado com um vírus ou malware.

Sobretudo se for um equipamento novo e tiver a certeza que não existe nenhum problema com os componentes internos do mesmo. Fique atento se o seu programa antivírus ou o seu gestor de tarefas começarem a falhar, isto pode ser um indício forte de que o seu computador foi pirateado. Muitas vezes não há forma de resolver o problema sem arrancar o computador em “Modo de Segurança”. Basicamente é uma forma de ligar o computador que só carrega os programas e serviços essenciais para que o Windows possa arrancar.

 

8 – As passwords deixam de funcionar

Tem a certeza que não alterou as suas palavras-passe de acesso ao seu computador ou a um site na internet que utiliza habitualmente, mas, por alguma razão que desconhece, não consegue aceder. Isso é sem dúvida um indicador claro de que tem um problema bastante grave relacionado com ataque informático que decorreu de uma falha de segurança. A única coisa que lhe podemos recomendar é que desligue imediatamente o seu computador da Internet e que procure o mais rápido possível ajuda de um técnico informático especialista para conseguir mitigar ou resolver o problema antes que tome contornos mais graves.

Não queremos ser pessimistas nem criar alarmismos, mas o comprometimento de uma password de acesso a um equipamento ou a um serviço pode ser a porta de entrada para os criminosos conseguirem atacar outros equipamentos e serviços. Sobretudo se estivermos a falar, por exemplo, de serviços como o correio eletrónico que permite ao hacker recuperar e alterar as credenciais de acesso a todos os nossos outros serviços onde utilizamos o nosso endereço de email.

 

9 – Os ficheiros e as pastas desaparecem

Se descobriu que alguns dos seus ficheiros desapareceram sem motivo aparente do seu computador, isso é evidente que alguma coisa de anormal se passa. As coisas não desaparecem por obra e graça do Espírito Santo. Recomendamos que comece por consultar as pessoas que sabe que podem ter acesso ao computador. Podem ter sido elas, por alguma razão, intencional ou não, a fazer com que os seus ficheiros desaparecessem. Se chegar à conclusão que ninguém andou a mexer no seu computador, então é melhor procurar rapidamente a ajuda de um profissional de informática.

Não fique desesperado que muitas vezes a informação que é apagada dos discos rígidos pode ser restaurada, basta para isso utilizar algumas ferramentas técnicas. Preocupe-se sobretudo se o criminoso que lhe apagou os dados continua com acesso ao seu equipamento e deixou de o conseguir prejudicar. Muitas vezes, à semelhança de outros ataques, só mesmo formatando o computador e voltando a instalar tudo é que se consegue ter a certeza que a ameaça foi completamente resolvida e não há o risco de continuar a existir.

 

10 – Envia mensagens sem saber

Se começou a receber chamadas ou mensagens dos seus amigos a dizer que lhes está a enviar convites para as redes sociais, mas tem a certeza que não as enviou, então o mais provável é que a sua conta tenha sido pirateada. O que deve fazer imediatamente é alterar a rede social para o problema. Depois, deve avisar os seus amigos, se possível por telefone ou pessoalmente, para não aceitarem nenhum convite seu e não clicarem em nenhum link que recebam da sua conta. Se ainda conseguir ter acesso à sua conta, deve alterar imediatamente a sua password e ativar a autenticação de dois fatores que o ajudará a evitar problemas semelhantes no futuro.

Esta ameaça pode parecer inofensiva, mas, na verdade, é utilizada muito frequentemente pelos criminosos para conseguirem que as suas vítimas paguem valores em dinheiro ou instalem malware nos seus equipamentos que depois utilizam para os poder controlar. A maioria de nós, se receber um convite ou um pedido para clicar num link de um amigo ou pessoa conhecida, normalmente não desconfia e acaba por aceitar. O melhor mesmo é confirmar sempre com o remetente da mensagem por outro meio de comunicação se realmente enviou ou não o pedido. Costuma-se dizer que quem é desconfiado não é de confiança, mas neste caso isso não se aplica, muito pelo contrário.

 

12 sintomas de um computador infetado - como se proteger 4

 

11 – A impressora deixa de funcionar

Provavelmente não sabe ou então nunca pensou nisso mas as Impressoras que temos ligadas à Internet e que utilizam sobretudo endereços IP podem ser facilmente hackeáveis. Basicamente, o IP ou “Internet Protocol” é o que identifica de forma única cada equipamento que se liga a uma determinada rede. Se detetar algum sinal de mau funcionamento relacionado com o software de uma impressora, é melhor investigar porque pode ser um sintoma de algo que requer a sua atenção.

Com o surgimento da internet das coisas IoT tornou-se cada vez mais importante estarmos atentos ao comportamento dos equipamentos que temos ligados à nossa rede. Quer seja uma tomada inteligente, um termómetro ou então uma câmara de segurança IP. A única forma de se conseguir proteger é escolher sempre fabricantes de confiança que tenham uma política de atualização regular dos frimwares dos seus equipamentos. Ou seja, além de ter os habituais sistemas de segurança interna como Firewalls também deve manter o software dos seus periféricos constantemente atualizado com as últimas versões de segurança.

 

12 – Recebe muitos e-mails estranhos

À semelhança dos convites das redes sociais, se os seus colegas, familiares ou amigos começaram a queixar-se de que estão a receber mensagens suas de email e tem a certeza que nunca as enviou, é muito provável que o seu computador esteja infetado com malware. De facto, os autores de alguns tipos de malware conseguem esconder o seu software malicioso em ficheiros perfeitamente normais. Depois, enviam esses mesmos ficheiros por e-mail para as suas vítimas os abrirem e ficarem infetadas, muitas vezes sem saberem.

Fique atento por são normalmente mensagens com caráter de urgência ou com ofertas irrecusáveis, enviadas muitas vezes do endro de email de alguém que conhece. Por isso recomendamos que nunca abra uma ligação inesperada num e-mail, mesmo que pareça vir de alguém em quem confia plenamente. Lembre-se que essa pessoa de confiança pode estar infetada e sem saber está a enviar mensagens perigosas a todos os seus contactos.

Também neste caso o melhor mesmo é contactar diretamente a pessoa que lhe enviou a mensagem, de preferência sem ser por email e avisá-la do que está a acontecer. Isso irá fazer com que além de reduzir a hipótese de ser infetado com malware que virá noutra mensagem, também evitará a propagação pela restante rede de contactos.

 

Como se proteger das ameaças online?

Certamente que concorda connosco de que a Internet é um lugar espetacular onde, além de outras coisas, também podemos reunir-nos com as pessoas que conhecemos e partilharmos a informação que temos com elas. No entanto, não deixa de ser um “faroeste” onde é importante termos cuidado com a nossa segurança. Como diz o ditado, quem anda à chuva molha-se.

Mas não precisamos de nos “molhar” basta para isso tomarmos a devidas precauções e termos algum bom senso sempre que utilizamos os serviços disponibilizados pela Internet. Numa tentativa de ajudar os nossos leitores a manterem-se “secos” quando andam à chuva, acrescentamos a seguir alguns dos hábitos mais simples que pode implementar na sua vida para conseguir manter-se seguro.

 

1 – Instale um programa antivírus

Na verdade, os programas de proteção antivírus são concebidos e utilizados para detetarem e limparem vírus e malware. São programas maliciosos que aparecem nos nossos equipamentos e que os antivírus conseguem limpar antes mesmo de eles conseguirem causar danos. Além disso, com a disponibilidade de antivírus gratuitos online, não tem nenhuma razão para não instalar um destes programas para garantir a sua segurança.

Recomendamos que verifique se tem instalado um bom software antivírus em todos os seus equipamentos, quer seja o computador, o smartphone ou o tablet. Só assim é que conseguirá que a sua informação e os seus dados pessoais estão protegidos das potenciais ameaças. Na verdade, isso não é suficiente, também é preciso manter esses programas antivírus e antimalware atualizados.

Lembre-se que os sistemas que utilizamos no dia a dia vão sendo alterados e os hackers andam sempre a procurar novas formas de conseguirem aceder aos nossos dados.

 

2 – Escolha sempre passwords fortes

De facto, as passwords são de extrema importância porque são a maioria das vezes a unica forma de conseguirmos manter as nossas contas seguras e livres de acessos não autorizados. Por isso, ao criar uma password, certifique-se sempre que ela contém uma combinação de números, caracteres especiais e letras maiúsculas e minúsculas. Além disso, procure nunca utilizar palavras ou frases que possam ser facilmente descobertas por pessoas mal intencionadas.

O que normalmente recomendamos é a utilização de um programa ou serviço online que consiga gerar passwords seguras sem termos de puxar muito pela cabeça. O problema de muitas pessoas é que utilizam a mesma password em vários sistema e serviços online. Pode parecer uma coisa insignificante, mas se pensar um pouco vai ver que é algo de extrema importância. Imagine que utilizou a sua password habitual num site menos seguro que, entretanto, foi pirateado e os criminosos conseguiram roubar a sua password.

Não fica preocupado se com essa password eles conseguirem aceder a outros sites e serviços online como sites bancários? Pois, o melhor mesmo é utilizar sempre passwords diferentes para todos os sites e serviços online em que nos registamos. Sim, reconhecemos que isso seria humanamente impossível conseguir memorizar todas as passwords que utilizamos, mas existem algumas ferramentas que nos conseguem ajudar. São normalmente ferramentas online que possuem plugins e extensões para instalarmos nos nossos navegadores e que nos ajudam a preencher o campo da password em todos os sites que precisamos de nos autenticar.

São plataformas de segurança que guardam todas as nossas passwords de forma encriptada e só precisamos de conhecer a password mestra para conseguirmos consultar todas as restantes. Se ficou confuso, contacte-nos e teremos todo o gosto em sugerir uma ferramenta que o ajudará a proteger as suas contas online com passwords únicas e seguras. Olhe para as passwords como as chaves e a fechadura da sua casa, quanto mais segura for mais descansado anda.

 

3 – Mantenha-se atento às tentativas de phishing

Muito provavelmente, já ouviu falar dos ataques de phishing que infelizmente acontecem todos os dias. Basicamente o Phishing é um tipo de ataque muito utilizado pelos cibercriminosos, para conseguirem convencer os utilizadores, sobretudo os menos cautelosos, a fornecerem aos seus dados pessoais. Podem ser desde coisas simples como nome, morada e NIF até coisas mais sigilosas como o número da conta bancária ou do cartão de crédito. Normalmente este tipo de ataque acontece com o envio de uma mensagem falsa às vítimas.

Pode ser uma mensagem a oferecer um produto ou serviço, a informar que acabou de ganhar um prémio, ou então que há um problema urgente que precisa de resolver com o seu banco ou com as Finanças. O que recomendamos é que tenha cuidado com tudo o que lhe parece demasiado bom e demasiado mau para ser verdade. Na maioria das vezes, se confirmar com a origem (oficial), vai ver que tudo não passou de uma tentativa de roubo dos seus dados.

Por isso, o melhor é redobrar o cuidado sobretudo quando receber e-mails de fontes desconhecidas a pedir as suas credenciais de login ou informações financeiras. Lembre-se que nenhuma entidade por razão alguma lhe iria pedir os seus dados pessoais que por si só são intransmissíveis. Se cair numa dessas tentativas de phishing é como se tivesse entregue as chaves da sua casa a um desconhecido disfarçado de um familiar.

 

4 – Evite ligar-se a redes públicas Wi-Fi

Reconhecemos que dá imenso jeito e que por isso, muitas pessoas utilizam as redes públicas Wi-Fi para acederem à internet quando estão em viagem, vão a um café ou às compras num centro comercial. Infelizmente, estes tipos de redes públicas são particularmente vulneráveis a ataques maliciosos. Os criminosos aproveitam-se delas para executarem ataques conhecidos em português como “homem no meio”. Basicamente utilizam um sistema para se fazerem passar pela rede pública.

Depois esperam que a vítima se ligue a eles pensando que utiliza a rede pública. Finalmente, intercetam todas as suas comunicações roubando todos os dados de acesso que a vítima, entretanto, utilizar nessa ligação WIFI. O que recomendamos sempre a que tem por hábito ligar-se a redes públicas Wifi, é utilizar os seus dados móveis ou então um serviço VPN para encriptar as suas comunicações para não conseguirem ser decifradas pelos criminosos mesmo que as consigam capturar.

Lembre-se que não há bela sem senão e que por vezes as coisas gratuitas têm os seus ricos associados. O importante é ter consciência desses riscos e tentar proteger-se ao máximo para evitar dissabores na sua via.

 

5 – Pense sempre antes de clicar ou publicar

Nunca é demais voltar a lembrar que nunca deve abrir e-mails ou anexos de pessoas que não conhece porque certamente na vida real, também não irá receber ofertas de desconhecidos, pelo menos irá desconfiar das suas reais intenções. O mesmo acontece com os links que nos aparecem online. De certeza que também não irá passear à noite para zonas que sabe que são perigosas. Sempre que não tiver a certeza se alguma coisa que recebeu ou encontrou na internet, peça ajuda a um profissional da área da informática porque certamente o irá ajudar a evitar um problema que depois lhe custaria mais a resolver.

Além disso, pense sempre duas vezes antes de publicar seja o que for na internet. Lembre-se que depois de alguma coisa ir parar à rede é muito difícil para não dizer impossível de conseguir apagar. Portanto, recomendamos que pare um pouco e pense cuidadosamente no que quer realmente partilhar. Quer sejam fotografias, vídeos, informações pessoais como a sua morada ou o seu número de telefone. Mesmo que o faça apenas com os seus familiares e amigos depois de o partilhar ficará fora do seu controlo e a qualquer momento corre o risco dessa informação pessoal ir parar às mãos erradas. Já diziam as pessoas mais antigas, o melhor devemos guardar para nós…

 

12 sintomas de um computador infetado - como se proteger 5

 

6 – Dê o exemplo e ajude os outros

Mas, além de se manter informado e se tentar atualizar sobre medidas de segurança na internet, deve acima de tudo pô-las em prática. Tente ser sempre um exemplo a seguir e ajude os seus familiares, amigos e colegas de trabalho e de escola com dias úteis que conhece para que também eles optem por ter um comportamento adequado e uma navegação online mais segura. Como reparou nos capítulos anteriores deste artigo, algumas das ameaças mais comuns e com mais impacto na nossa segurança, provêm de contactos de pessoas conhecidas.

Por isso é importante reforçar junto deles a importância de não darem as suas informações pessoais a desconhecidos, navegar em páginas seguras e perceber como identificar as que eventualmente podem comprometer a nossa segurança. Sobretudo quando são pessoas com poucos conhecimentos informáticos que utilizam lojas online para fazerem compras onde inserem os seus dados bancários.

Costuma-se dizer que é de pequenino que se torçe o pepino e por isso, se tiver crianças, deve incluir na sua educação a utilização segura dos serviços da internet. Hoje em dia não é só importante que estejam seguros no mundo real, também é importante estarem seguros no mundo digital. Deve evitar a todo o custo que sejam, por exemplo, mais uma vítima de um predador sexual que ataca recorrendo às redes sociais.

Nunca acredite plenamente em tudo o que recebe que tenha vindo da internet, especialmente em ofertas demasiado boas para serem verdade. Esteja sempre atento às mensagens com pedidos urgentes a solicitar que digite as suas informações pessoais e não adicione pessoas aos seu grupo de amigos e contactos que não conhece.

 

Conclusão: Mais vale prevenir que remediar

Sim, o velho ditado ainda continua a ser atual, principalmente nos dias que correm, com o aparecimento constante de novas tecnologias. De facto, é muito importante conseguir reconhecer os principais sintomas resultantes de uma ameaça para conseguirmos mitigar ou resolver o problema atempadamente evitando outros perigos.

Por isso recomendamos que siga as dicas simples deste artigo para ter uma vida tecnológica mais saudável. O que no Informatico.pt nos parece mais importante é que tenha um pouco de bom senso quando utiliza a internet. É vital para se conseguir manter consciente dos riscos associados ao facto de navegar online e com isso evitará a maioria dos problemas relacionados com as inúmeras ameaças que existem atualmente.

YouTube video

 

Com a tecnologia em constante expansão, estamos perante um novo mundo criado e renovado diariamente. Reconhecemos que isso nos traz muitos benefícios e oportunidades, mas também muitos riscos e muitas preocupações. A segurança é uma dessas preocupações e consideramos que deve começar em casa com os nossos hábitos diários cibernéticos mais comuns.

Para conseguir garantir a sua segurança enquanto navega no ciberespaço, deve manter-se atento e adotar as pequenas e simples medidas de segurança que descrevemos neste artigo. Além disso, deve preocupar-se em tentar divulgá-las pelo seu grupo de amigos e familiares, comece, por exemplo, por partilhar este artigo com eles.

 

Tabela de conteúdo

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

ARTIGOS RELACIONADOS:

COMENTÁRIOS E OPINIÕES:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

×