Assistência

À Distância

24 Horas

Disponíveis

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho

Já tentou visitar um site e descobriu que está bloqueado? Então é porque a sua escola ou trabalho o está a impedir de aceder determinados sites. Ou então o conteúdo foi bloqueado porque está fora de uma determinada área geográfica. No entanto, existem muitas ferramentas e técnicas que pode utilizar para conseguir desbloquear os sites e navegar livremente. Neste artigo irá descobrir como desbloquear os seus sites favoritos e contornar as restrições de acesso com algumas dicas, que incluem, por exemplo, a utilização de uma VPN.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 1

 

Porque é que os sites são bloqueados?

Tanto as escolas como as empresas podem bloquear alguns sites por motivos de produtividade ou para garantir que os utilizadores que se ligam às suas redes não acedam a conteúdo que seja potencialmente inseguro. Além disso, os governos de alguns países também bloqueiam sites por causa da censura, ou então como forma de controlarem o acesso à informação.

Tanto as empresas, como as escolas, os governos e alguns provedores de conteúdo podem bloquear sites com base no seu endereço IP, se ele tem ou não as permissões corretas. Por isso, quando descobrir que o seu acesso foi bloqueado, a maneira mais simples de conseguir contornar essa restrição é ocultar o seu endereço IP utilizando, por exemplo, uma rede privava virtual (VPN), um servidor proxy ou um browser como o Tor.

Também pode querer utilizar uma rede VPN para se manter seguro enquanto acede a jogos de casino online com dinheiro real. Qualquer especialista em segurança lhe irá recomendar uma VPN sempre que as comunicações envolverem dados pessoais ou transações em dinheiro. Quer esteja a utilizar um site normal ou com os mais recentes e avançados sistemas de segurança. Basicamente porque o problema não está no site mas sim na segurança das comunicações entre o seu equipamento e o servidor desse site.

Mostramos-lhe a seguir alguns dos motivos mais comuns pelos quais os sites são bloqueados.

 

Restrições escolares e de trabalho

Tanto as escolas quanto as empresas normalmente bloqueiam alguns tipos de sites para evitarem problemas de produtividade. Por exemplo, muitas escolas proíbem sites de pornografia, jogos e apostas. Os responsáveis pelas organizações querem que os seus colaboradores se concentrem no trabalho, e por isso bloqueiam, por exemplo, as redes sociais durante a hora de trabalho para evitarem partilhar vídeos de gatos fofinhos.

Outra razão pela qual as escolas e as organizações bloqueiam determinados sites é porque não querem que a sua largura de banda seja utilizada em serviços que consomem muitos dados. É por isso que a maioria delas impede os seus utilizadores de assistirem a vídeos ou a transmissões de eventos desportivos. Seja um vídeo do YouTube ou uma partida de futebol em direto, ambos consomem muita largura de banda, que normalmente deveria ser utilizada para tarefas escolares ou laborais.

 

Conteúdo com restrição geográfica

Os serviços de entretenimento, como a Netflix, disponibilizam normalmente diferentes conteúdos para cada país do mundo. Este tipo de bloqueio geográfico é implementado devido aos acordos de licenciamento de conteúdo que esses serviços têm com os seus autores. Por exemplo, pode ver o Star Trek Discovery na Netflix na Europa, mas não nos Estados Unidos. Basicamente porque nos EUA é o “CBS All Access” que tem os direitos de transmissão, enquanto que no resto do mundo é a Netflix que tem esses direitos internacionais para transmissão da série.

 

Censura governamental

Alguns países, como a China, a Rússia, o Iraque e a Coreia do Norte, censuram uma grande quantidade de conteúdo online sobretudo por motivos políticos. Por exemplo, a China bloqueou muitas das plataformas globais de redes sociais, e os seus cidadãos não podem utilizar o Twitter, Facebook, Instagram ou mesmo o WhatsApp na China sem terem de recorrem a uma VPN.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 2

É crime desbloquear sites?

Utilizar ferramentas como proxies e VPNs para desbloquear sites normalmente é legal, mas as regras variam de país para país. A maioria dos países, até mesmo a China, permitem algum tipo de utilização de VPNs. No ocidente, as VPNs tendem a ser completamente legais. Mas sempre que tentar contornar os bloqueios de conteúdo, lembre-se do seguinte:

 

1 – Transmitir, partilhar ou visualizar conteúdo ilegal como, por exemplo, torrents de materiais protegidos por direitos de autor é sempre um ato ilegal.

2 – Apesar de não ser ilegal utilizar serviços de streaming como, por exemplo, a Netflix com uma VPN, isso pode violar os seus termos de utilização. Esses serviços são conhecidos porque expulsão os seus utilizadores quando não cumprem com as suas regras.

3 – Lembre-se que apesar de algumas VPNs não registarem a sua utilização do serviço, alguns dos provedores VPN partilharam as informações dos seus utilizadores com organismos governamentais que fiscalizam e a aplicação das leis.

 

Basicamente, a nossa liberdade termina quando começa a liberdade dos outros e o desconhecimento da lei não abona a ninguém. Resumindo, na dúvida mais vale prevenir que remediar.

 

Método 1: Utilizar um proxy

Uma das maneiras mais fáceis de conseguir desbloquear um site é utilizando um proxy da web que seja público. Pode não ser um método tão rápido e seguro como é uma VPN, mas um proxy web público é uma boa solução quando utilizamos computadores públicos que não permitem a instalação de uma VPN. Basicamente, os proxies ocultam o nosso endereço IP e direcionam todo o tráfego da Internet para diferentes servidores públicos.

Muitos servidores proxy não são encriptados nem emparelhados com uma aplicação ou navegador específico, é por isso que os proxies costumam ser mais fáceis de utilizar. No entanto, uma rede privada virtual ou VPN é um sistema encriptado, que além de o proteger contra o controlo que feito pelo seu provedor de serviço de internet ISP, também o protege da vigilância do governo e dos hackers. Por estas razões é que os Proxies nunca devem ser utilizados para enviar dados financeiros, pessoais ou outras informações que sejam confidenciais.

Um dos sistemas Proxy mais populares na internet é o “esconde o meu cu” ou Hide my Ass – HMA. Mostramos-lhe a seguir como pode utilizar este serviço para conseguir desbloquear sites:

 

1 – Aceda ao serviço abrindo o site do HMA.

2 – Na primeira caixa de texto digite o endereço URL do site que precisa de aceder anonimamente ou que está bloqueado.

3 – Depois clique no menu “More options” e escolha a opção “Encrypt URL” e “Disable Cookies” para aumentar a segurança.

4 – Clique no botão amarelo “Agree & Connect” para abrir a página bloqueada.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 3

 

5 – O sistema proxy HMA irá mostrar uma barra de ferramentas na parte superior da página.

A barra de ferramentas HMA permite que você escolha um local no topo de uma página da web.

 

6 – Nessa barra poderá escolher o local onde virtualmente estará ao visitar um site para assim conseguir remover os bloqueios do conteúdo.

O proxy da web HMA permite que você disfarce sua localização para uma das várias opções para contornar as restrições de conteúdo.

 

Como configurar um proxy num equipamento Mac

Se utiliza um equipamento Mac, também pode configurar um proxy diretamente no navegador Safari, para não precisar de se ligar manualmente através de um serviço de proxy sempre que quiser desbloquear um site.

Mostramos-lhe a seguir as configurações que deve fazer para conseguir implementar um sistema proxy no seu navegador Safari:

 

1 – Abra o seu navegador Safari e selecione a opção “Preferences” através do menu da barra superior.

Abrindo o menu Preferências no navegador Safari.

 

2 – Clique no separador “Advanced” e depois no botão “Change Settings” no fundo da janela que aprece ao lado de “Proxies:”.

O menu de configurações avançadas nas Preferências do Safari.

 

3 – Depois escolha um protocolo para configurar, certifique-se que o proxy que quer editar está selecionado.

Selecionando um protocolo para configurar nas configurações de proxy do Safari.

4 – Finalmente, basta inserir o endereço e a porta do seu serviço proxy preferido no campo “Secure Web Proxy Server”.

Selecionando um servidor proxy da web seguro nas configurações de proxy do Safari.

5 – Para guardar as configurações basta clicar no botão OK e já irá navegar na internet através do seu serviço proxy.

 

Método 2: Utilizar a cache do Google

Provavelmente não sabe, mas o Google mantém cópias locais dos sites para serem carregados mais rapidamente quando os visitamos. Essa técnica é chamada de cache.

Se por alguma razão a versão original de um determinado site estiver bloqueada, pode tentar aceder à versão que o Google tem guardada na memória cache. Mostramos-lhe a seguir como consegue encontrar no Chrome a versão cache de um determinado site ou página da internet:

 

1 – Aceda à página principal do Google e digite o endereço ou o nome do site, ou da página que precisa de desbloquear.

2 – Clique na seta ou nos 3 pontos verticais junto ao endereço URL do site.

3 – Depois na janela que aparecer clique no botão “Em Cache”.

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 4

 

4 – Se tiver sorte, o Google irá mostrar-se a versão da pagina que tem guarda em memória cache.

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 5

 

De facto, é um método que muitas vezes não resulta porque o Google nem sempre guarda as paginas em memória e dá problemas quando se tenta depois navegar dentro do site que está bloqueado porque os links não irão funcionar. Mas como é uma técnica muito simples e rápida, não custa nada tentar, antes de ter de utilizar outro sistema de desbloqueio mais complexo.

 

Método 3: Experimentar um encurtador de URL

Também pode contornar os sistemas de bloqueio de sites que sejam menos sofisticados utilizando, por exemplo, um serviço que encurta o endereço URL do site ou da página que quer visitar, como o Shorturl.at, o Bitly, o TinyURL ou o ls.gd. Basicamente, estes serviços substituem o endereço URL de um determinado site por um endereço de domínio mais curto. Ou seja, se a sua escola ou a sua empresa bloquear o endereço URL do YouTube, a versão abreviada do endereço gerada pelo serviço Bitly poderá conseguir desbloquear o conteúdo do vídeo que quer ver.

Mostramos-lhe a seguir como consegue utilizar o serviço Shorturl.at para conseguir desbloquear alguns sites que a sua escola ou empresa bloquearam marcando esses endereços na sua lista negra:

 

1- Comece por pesquisar no Google a página que quer desbloquear. Depois copie o endereço URL dessa mesma página.

2 – Aceda ao site Shorturl.at e cole esse endereço URL no campo “Enter the link here”.

3 – Depois clique no botão “Shorten URL” para aparecer uma nova pagina com um novo endereço.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 6

 

4 – Finalmente basta carregar no botão azul “Copy URL” para copiar o novo endereço para a área de transferência do seu computador e depois colo-lo na barra de endereço do seu navegador.

 

Com esta ferramenta também pode partilhar direta menta da página do serviço o novo endereço do site nas suas redes sociais.

 

Método 4: Tentar com o endereço IP

Alguns programas mais rudimentares utilizados no bloqueio de sites utilizam apenas os nomes dos domínios dos sites e não os seus endereços IP. Consegue encontrar o endereço IP de um determinado site utilizando a ferramenta de pesquisa Whois. No site dessa ferramenta irá encontrar diversas informações sobre um site, como, por exemplo, quem é o proprietário e qual é o endereço IP do servidor onde está alojado.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 7

 

Por exemplo, em vez de aceder ao Youtube com o seu nome de domínio youtube.com pode tentar abrir o site utilizando o endereço IP: 142.250.69.206. Para tentar isso basta digitar o endereço https://142.250.69.206 na barra URL do seu navegador.

Se tiver sorte isso irá funcionar, depende sobretudo do tipo de software de bloqueio que está a ser utilizado.

 

Método 5: Utilizar uma extensão

Alguns dos sistemas para desbloquear sites mais populares estão disponíveis através de uma extensão que pode instalar no seu navegador. Basicamente, permitem-nos ignorar automaticamente as restrições de sites impostas pelas entidades que gerem os serviços de internet.

De facto, existem uma enorme variedade de serviços de proxy que funcionam como extensões do navegador e que estão otimizados para os browsers mais populares. Basicamente, são extensões com a mesma funcionalidade que um site proxy, mas que estão ligadas diretamente ao nosso navegador para não termos de andar sempre a visitar um site proxy para conseguirmos desbloquear o conteúdo de um determinado site ou página web.

Mostramos-lhe a seguir um exemplo de como pode utilizar uma extensão do Chrome para conseguir contornar os bloqueadores de sites. Primeiro terá de pesquisar, escolher e instalar a extensão no seu navegador de internet, que neste caso vai ser o Chrome da Google.

 

1 – Comece por abrir o Chrome e clicar nos três pontos que aparecem no canto superior direito. Depois clique na opção “Mais ferramentas” seguido de “Extensões”.

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 8

 

2 – Abra o menu das Extensões clicando no ícone em forma de “Hambúrguer” que aparece no canto superior esquerdo. Depois, clique em “Abrir a Web Store do Chome” que aparece na parte inferior do menu.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 9

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 10

 

3 – Na barra de pesquisa da página que irá aparecer, digite o nome do serviço de proxy, ou VPN para encontrar na loja da Google a extensão desse mesmo serviço. Ao encontrar a extensão que quer adicionar ao seu Chrome basta clicar sobre ela e depois no botão azul “Instalar” para que o Chrome a descarregue e a instale no browser.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 11

 

4 – Quando aparecer uma janela pop-up clique em “Adicionar extensão” para confirmar a instalação.

5 – Finalmente, irá aparecer-lhe no canto superior direito do seu navegador o icon da extensão onde pode clicar para começar a utilizar o serviço.

 

Método 6: Alternar entre HTTP e HTTPS

Atualmente, a maioria dos sites que existem na internet já tem um sistema de segurança baseado no protocolo HTTPS. Ao contrário do que existia antigamente que era através do protocolo HTTP. No entanto, às vezes é possível “enganar” o sistema de segurança (ex: firewall) da escola ou do trabalho desbloqueando um site utilizando a sua versão HTTP.

Ou seja, se o site que precisa de aceder e está bloqueado tem o endereço URL https://www.exemplo.com, poderá tentar aceder-lhe utilizando o seu endereço não seguro http://www.exemplo.com ou vice-versa. No entanto, lembramos que o protocolo HTTP não é seguro e por isso não recomendamos que o utilize sobretudo quando está a pensar introduzir os seus dados de acesso ou algum tipo de informação pessoal que possa ser capturada por um hacker com acesso a mesma rede.

De todas as formas possíveis de desbloquear o acesso aos sites, esta é sem dúvida a mais perigosa. Por isso, se não perceber o que está a fazer, recomendamos que não a utilize porque pode por em risco os seus dados pessoais e a sua segurança.

 

Método 7: Utilizar o navegador Tor

O Tor (The Onion Router) é um projeto de código aberto composto pelo navegador Tor, desenvolvido com base no navegador Firefox, e que possui uma rede própria chamada Tor. Basicamente, o navegador Tor acrescenta várias camadas de encriptação ao seu tráfego, que depois é direcionado aleatoriamente pela rede Tor de forma a conseguir ocultar o seu verdadeiro endereço IP antes de conseguir chegar ao site que está bloqueado e que precisa de aceder.

Este sistema de proteção recorrendo a multicamadas assemelha-se às camadas de uma cebola, sendo dai que o Tor recebeu o seu nome. Na verdade, é um sistema de segurança que consegue desbloquear anonimamente o acesso à maioria dos sites, incluindo todo o tipo de páginas mais hardcore.

Apesar de conseguir aceder a quase todos os tipos de sites recorrendo ao Tor, a sua navegação na internet será bastante mais lenta. Isso acontece por causa dos requisitos de segurança da rede Tor. Além disso, é uma rede desenvolvida e mantida por voluntários que não têm como principal prioridade o desempenho, mas sim o anonimato e a privacidade dos seus utilizadores.

Lembramos que se estiver ligado a uma rede de uma escola ou de uma empresa, pode estar bloqueado o download do navegador Tor. No entanto, não custa nada experimentar e tentar descarregar este browser. Mostramos-lhe a seguir como consegue descarregar e utilizar o Tor para conseguir manter-se anónimo na internet ou então conseguir aceder a um determinado site bloqueado pela sua instituição:

 

1 – Aceda ao site do navegador Tor.

2 – Escolha o equipamento que está a utilizar e siga as instruções para instalar o Tor.

3 – Quando abrir o Tor pela primeira vez, irão aparecer-lhe algumas opções de configuração que dependem do país em que está e das configurações da rede de Internet que está a utilizar.

 

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 12

 

4 – Depois de abrir o Tor se lhe aparecer uma mensagem como a seguinte selecione a opção “Sempre conectar Automaticamente” e clique no botão “Conectar” para se ligar à rede Tor.

8 métodos para desbloquear sites na escola casa e trabalho 13

 

Agora está no navegador Tor e deve ser capaz de aceder qualquer site bloqueado que esteja a tentar aceder. Qual é o melhor para: VPN, proxy ou Tor ? Depende do tipo de rede em que está e do conteúdo que está a tentar aceder.

 

Método 8: Utilizar uma VPN

No onformatico.pt consideramos que a melhor e mais segura maneira de conseguir manter a nossa privacidade e desbloquear sites é utilizando uma rede privada virtual VPN porque encripta os nossos dados e protege as ligações. Isto porque, ao utilizar uma VPN, irá ligar-se a um servidor VPN remoto que depois se irá ligar ao site que pretende visitar. Isso significa que a VPN irá ocultar o seu verdadeiro endereço IP e permitir ultrapassar muitas das restrições que pode ter na sua rede quando tenta visitar determinados sites.

A liberdade e a segurança que conseguirá ter, se utilizar uma VPN, para desbloquear sites superam em muito o incómodo que terá em descarregar este tipo de software. Apesar de alguns dos outros métodos para desbloquear sites que descrevemos neste artigo possam ser mais rápidos, nada consegue superar a segurança de uma VPN.

Por isso, quer precise de desbloquear um site específico, ou aceder a um conteúdo mais sensível durante uma viagem ao então, está fora do país e quer proteger a sua privacidade online, uma VPN será sem dúvida sempre a sua melhor opção.

Com um serviço VPN irá conseguir transmitir o conteúdo que quiser do local que quiser por uma ligação encriptada que lhe dará a máxima privacidade online.

As formas de conseguir configurar uma VPN podem variar dependendo do seu sistema operativo e do seu equipamento. Tal como já acontece com outras tecnologias, existem formas de conseguir acelerar a sua VPN se perceber um atraso no seu desempenho.

Resumindo, é relativamente fácil conseguir desbloquear sites com uma VPN quer esteja a utilizar o seu computador pessoal ou o seu telemóvel, ou tablet. No entanto, pode não ser a melhor opção se estiver a utilizar um computador público de uma escola ou de uma biblioteca.

 

Qual o melhor serviço de VPN grátis

De facto existem dezenas, para não dizer centenas de serviços de VPN espalhados pela internet. Uns com versões pagas e de melhor qualidade e outras versões gratuitas que normalmente têm menos recursos e funcionalidades. Pela experiência que temos no Informatico.pt, se procura uma VPN gratuita que tenha boa qualidade e que os dados sejam ilimitados e, simultaneamente, seja um serviço rápido, então Proton VPN será a melhor opção.

Basicamente é um serviço VPN gratuito com características profissionais e aplicações muito boas com um excelente desempenho. Reconhecemos que tem algumas limitações, mas, no fundo, o Proton VPN Free é um excelente pacote de serviços que consideramos ser uma excelente alternativa aos serviços pagos.

A lista de locais que podemos utilizar para mascarar a nossa localização é um pouco pequena porque só podemos escolher três países. No entanto, a velocidade, os recursos, as aplicações de qualidade profissional e os dados ilimitados do Proton VPN Free fazem dele a VPN gratuita da nossa eleição.