Assistência

À Distância

24 Horas

Disponíveis

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso

Descubra neste artigo algumas das melhores dicas para conseguir criar um currículo vitae CV de programador ideal para concorrer a qualquer tipo de concurso ou vaga de trabalho. Ninguém consegue ser bom profissional em tudo aquilo que faz. Dai, a razão de estarmos a escrever este pequeno guia para tentarmos ajudar os programadores a conseguirem aquele posto de trabalho que tanto anseiam.

Se é da área da informática, provavelmente já sabe que a programação é uma atividade com muita procura e que pode ser realizada em qualquer lugar do mundo. Infelizmente, muitas das grandes empresas subcontratam serviços de programação a países onde os salários são mais baixos. Estudos recentes indicam que nos próximos 10 anos, o emprego dos programadores deverá diminuir cerca de 8%. Sim, é triste, mas é a dura realidade.

Felizmente, aquelas empresas incríveis consideradas “unicórnios” e com as quais sempre sonhou trabalhar ainda precisam de programadores para trabalharem nas suas instalações locais. Mas, como não há Bela sem senão, infelizmente existem milhares de candidatos que também partilham desse mesmo sonho de trabalharem nessas empresas.

Por isso, para conseguir um emprego com os melhores dos melhores, precisa de ter o melhor currículo de programador possível. Só assim é que irá conseguir destacar-se dos restantes candidatos. Mas não se preocupe, porque isso não é assim tão difícil de conseguir e vamos mostrar-lhe a seguir como o fazer. No final deste artigo irá conseguir responder facilmente a todas as questões a seguir:

 

  • Como criar um currículo de programador que se destaque de outros semelhantes.
  • Como escrever um currículo de programador mesmo sem experiência.
  • Como acrescentar habilidades e conquistas a um currículo de programador.
  • Como descrever a minha experiência num currículo de programador
  • Como criar um currículo de programador ideal para o emprego que procura.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 1

 

 

1 – Qual o melhor formato para um currículo de programador?

 

Se é um programador provavelmente irá concordar connosco que a experiência do utilizador UX é das coisas mais importantes do nosso trabalho. Sabe que as pessoas normalmente não se esforçam por se concentrarem o suficiente para perceberem o que utilizam. Se o seu produto não for intuitivo o suficiente ou se o seu site não for fácil de navegar, irá certamente perder a maioria do seu público.

Por isso, lembre-se que os recrutadores são exatamente como qualquer outro grupo de utilizadores. OK, mas então o que um profissional de programação pode fazer para conseguir melhorar o seu UX relativamente ao seu currículo de programador?

A resposta é bastante simples, basta utilizar na estrutura do seu currículo um formato cronológico que seja simples, elegante e de fácil leitura. Mas, porque é que esse é o melhor modelo de currículo de programador? Basicamente por quatro motivos simples que podem fazer a diferença na hora em que o recrutador faz a seleção dos melhores currículos:

 

  • destaca os seus pontos fortes;
  • mostra o auge da sua carreira no topo do currículo;
  • torna tudo mais fácil de pesquisar;
  • poupa tempo ao recrutador.

 

Claro, isto funciona muito bem se estiver a criar um currículo vitae para um programador sénior com bastante experiencia na área da programação. Então este modelo não deve ser aplicado se estivermos a criar um currículo de programador para alguém com pouca experiência profissional?

Não, este modelo com um formato cronológico reverso continua a ser a melhor aposta, mesmo para um currículo de programador de nível básico. No entanto, se for esse o caso, pode aproveitar para melhorar ao máximo o currículo fazendo duas coisas:

 

  • colocar a secção com a formação académica antes da secção com a experiência profissional;
  • na secção com a experiência profissional, listar os projetos paralelos, trabalhos freelancer mesmo que não sejam pagos, experiência com voluntariado e trabalhos temporários.

 

Relativamente ao formato do documento temos uma dica que o pode ajudar. Criar um currículo de programador em formato PDF é provavelmente a escolha que qualquer um de nós iria fazer. Até porque os ficheiros em PDFs são bons porque mantêm o nosso layout intacto. No entanto, certifique-s de ler atentamente a descrição da oferta de trabalho para confirmar se a entidade empregadora aceita documentos em formato PDF. Caso contrário, envie o seu currículo de programador num formato editável como o DOC da Microsoft.

Sente que precisa ainda mais de destacar as suas habilidades de programação? Acha que consegue melhores resultados com outro modelo ou formato de currículo de programador? Deixe por favor um comentário no final deste artigo e teremos todo o gosto em melhorá-lo com a sua sugestão.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 2

 

 

2 – Inserir um objetivo ou um resumo do currículo?

 

Nesta secção, para conseguir perceber o objetivo de um currículo de programador, vamos começar por pedir-lhe para fazer um pequeno exercício. Imagine que é um recrutador e que precisa de um novo colaborador para o departamento de programação. Está na sua secretária a analisar uma pilha com mais de 500 currículos e de repente, há um que lhe chama mais a atenção. Põe os outros de parte e acaba por ler aquele currículo em particular até ao fim.

Provavelmente já está a pensar como seria ótimo se esse fosse o seu currículo de programador que enviou com tanta fé para a empresa dos seus sonhos. Sim, seria muito bom conseguir destacar-se dos restantes 499 currículos com que as melhores empresas são normalmente bombardeadas sempre que publicam um posto de trabalho. Mas afinal de contas como podemos conseguir destacar-nos de todos os outros?

De facto, há algumas coisas que pode fazer para o conseguir. Pode, por exemplo, inserir no topo do seu currículo uma introdução cuidadosamente elaborada. Basta um parágrafo breve e de fácil leitura que mostre os seus pontos fortes e que prove que é exatamente o candidato que a empresa está à procura. Muitas vezes, menos é mais, e até nestes casos isso é verdade porque ninguém gosta de ter de ler milhares de linhas de conteúdo para perceber o mesmo que podia estar escrito em poucas linhas.

Basicamente, neste parágrafo inicial, pode optar por duas coisas, dependendo sobretudo do destino do currículo que está a criar. Pode inserir um texto que seja um resumo do que o recrutador irá encontrar no restante currículo, ou então inserir um texto sobre o objetivo do próprio currículo para que o recrutador perceba as razões que o levaram a criar esse documento. Se ficou com dúvidas do que escolher mostramos-lhe a seguir as situações em que deve optar por uma ou outra abordagem:

 

Quando utilizar um resumo de currículo:

 

  • se for um programador sénior ou muito experiente;
  • se for um currículo para um cargo especifico (ex: programadores C++);
  • se for um currículo para um cargo de gestão ou executivo.

 

Quando utilizar um objetivo de currículo:

 

  • se for um programador com pouca experiencia ou autodidata;
  • se for para um cargo para programadores recém-licenciados;
  • se for para um cargo de estágio profissional ou formação

 

Descubra a seguir alguns exemplos de perfis de currículo que utilizam o parágrafo inicial para descreverem o objetivo do documento. Mostramos algumas das coisas que deve inserir nesta secção tão importante do seu currículo e tudo aquilo que deve evitar para não se prejudicar na avaliação do recrutador que irá analisar o seu documento.

 

O que não inserir num objetivo de um currículo de programador

 

Mostramos a seguir um mau exemplo de uma secção inicial de um currículo em que o candidato tentou descrever o objetivo da sua candidatura ao posto de trabalho:

“Bacharel em Ciência da Computação em busca de um emprego onde possa alavancar o meu conhecimento da arquitetura “C++” e “.NET” trabalhando numa equipa altamente eficaz na área médica.”

Mas afinal porque é que este tipo de abordagem está errada? Por uma razão muito simples, este candidato escreveu sobre o que ele quer do seu novo emprego. Na realidade, ninguém se importa com o que quer ou deixa de querer. O empregador quer lá saber que ele queira “alavancar a suas habilidades trabalhando numa equipa altamente eficaz”.

 

O que inserir num objetivo de um currículo de programador

 

Mostramos-lhe a seguir um bom exemplo do que pode inserir num objetivo de currículo de programador que se destaca por ser autodidata:

“Programador trabalhador com talento para criar soluções elegantes no menor tempo possível. Como programador freelance, criou conjuntos de dados SAS de dados clínicos e desenvolveu programas para melhorar a eficiência e a qualidade da gestão de dados da empresa farmacêutica Taykeda. Procuro utilizar as minhas habilidades de programação para ajudar a aumentar a eficiência da gestão de dados da empresa Pypermedik.”

Já conseguiu perceber a diferença desta abordagem para a anterior? Este candidato está exclusivamente focado no benefício do empregador, e não no seu ganho pessoal. Pode parecer-lhe uma coisa insignificante, mas acredite que faz toda a diferença quando se trata de escolher o melhor candidato para um determinado posto de trabalho. É a melhor forma de se dar a conhecer e a primeira impressão é a que normalmente conta…

Vamos agora mostrar-lhe dois exemplos simples de resumos utilizados em currículos de programadores.

 

 

O que não inserir num resumo de currículo de programador

 

Agora mostramos-lhe um exemplo do que não deve inserir num resumo de currículo de programador porque muito provavelmente irá prejudicar a sua avaliação aquando da seleção dos possiveis candidatos para a entrevista de trabalho:

“Programador de software com vasta experiência em C, SQL, Java, JavaScript, Python, Perl, PHP e C#. Desenvolveu vários aplicações, sites e outros tipos de software conforme as tendências modernas e os padrões da indústria.”

De facto, não podemos dizer que seja um resumo horrível, mas é certamente muito generalista e pouco conectivo porque não inclui coisas concretas. Ou seja, o candidato limitou-se apenas a listar as suas habilidades e deveres genéricos de programação. Resumindo, é um tipo de resumo que se pode encontrar na maioria dos currículos que os recrutadores recebem e que já pouco ou nada os impressionam. “BOCEJO!”

 

O que inserir num resumo de um currículo de programador

 

Mostramos-lhe a seguir um bom exemplo do que pode inserir num resumo de currículo de programador que se destaca por ser muito claro e objetivo:

“Programador C orientado a resultados com mais de 8 anos de experiência em desenvolvimento, teste e manutenção de aplicações de software corporativo. Projetou e desenvolveu mais de 30 aplicações avançadas a partir de casos de uso e requisitos funcionais. Investigou novas tecnologias para garantir que a Alnytek continuasse a ser a líder na definição de padrões da indústria nos últimos anos.”

Sim, é um resumo bastante bom e que, com certeza, fará com que os recrutadores guardem os contactos para ligarem ao candidato para uma entrevista.

Se que dar mais alguns conselhos e dicas sobre como escrever um objetivo ou um resumo de currículo de programador deixe por favor um comentário no final deste artigo. Termos todo o gosto em o publicar e ajudar mais profissionais que precisam de criar o seu documento de apresentação para enviarem as empresas dos seus sonhos.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 3

 

 

3 – Como descrever a sua experiência de programador?

 

Sabia que, em média, um recrutador ou um gestor de recursos humanos demora apenas 6 segundos para analisar e avaliar o currículo de um candidato? Sim, parece assustador, mas é verdade. O melhor que pode fazer é conseguir que esses 6 segundos sejam utilizados a seu favor. Para isso tem de perceber o que é mais importante para quem está a recrutar um novo colaborador para preencher um determinado posto de trabalho.

 

O mais importante para um recrutador é a experiência de trabalho.

 

Por isso, se quer ter um emprego de sonho como programador, a secção da experiência de trabalho no seu currículo deve conseguir fazer cair o queixo de quem o vai contratar. Para tal terá de seguir algumas das dicas a seguir:

 

  1. Comece pelo trabalho atual ou mais recente e continue com as suas funções anteriores por ordem cronológica inversa.
  2. Em cada trabalho que teve, adicione até cinco funções que desempenhou. Concentre-se sobretudo nas suas conquistas. Lembre-se que os recrutadores não estão interessados ​​no que fez, mas sim no quão o fez bem.
  3. Mostre ao seu futuro empregador como pode agregar valor à organização com base naquilo que já fez no passado. Adapte a secção da experiência profissional para corresponder à oferta de emprego.

 

Deve criar um currículo como se fosse um fato à medida das expectativas do empregador. Ou seja, para criar um bom currículo tem de ser um bom alfaiate que conhece exatamente as medidas do corpo do seu cliente. Por isso, ao ler um anúncio de emprego, deve destacar os requisitos e as responsabilidades que o empregador precisa para o cargo. Normalmente esses são os pontos-chave que os recrutadores estarão à procura num currículo para um posto de trabalho de programação.

Se no texto da oferta de emprego descobrir tarefas que já executou antes, liste-as nos marcadores dos seus empregos anteriores para que o empregador perceba que é a pessoal ideal para o trabalho que precisa. Mostramos-lhe a seguir um exemplo de como conseguir fazer isso sem que seja muito evidente, mas que também não passe despercebido.

Dê uma vista de olhos a este exemplo com uma oferta de trabalho para um programador Java:

 

DEVERES E RESPONSABILIDADES GERAIS

 

  • Desenvolver design de projetos (1) que passa pela criação de aplicações, migrações e upgrades de aplicações existentes.
  • Participar em reuniões de projeto (2) com outros técnicos, empresários e especialistas no assunto.
  • Avaliar e desenvolver requisitos de design para o projeto (3) comunicando-se por escrito ou em reuniões com a equipa de desenvolvimento enquanto avalia as especificações detalhadas em relação aos requisitos de design.
  • Rever os resultados dos testes (4) e orientar o desenvolvimento.
  • Fornecer ou orientar o fornecimento de suporte técnico às aplicações que estão atualmente em produção.
  • Orientar o trabalho (5) do pessoal da programação e desenvolvimento que seja menos experiente.

 

Agora, veja como criar uma boa secção de experiência profissional num currículo de programador Java. Note por favor, como neste caso o candidato conseguiu combinar as suas responsabilidades com as palavras-chave que destacamos no texto da oferta de emprego.

 

Como criar uma secção de experiência profissional num currículo de programador

Programador Java

Blanight Financial Services 2010–2017

Porto, Portugal

  • Projetou e desenvolveu cerca de 10 projetos de aplicações por ano (1)
  • Controlou os requisitos dos projetos (3) em cooperação com as equipas de análise de dados
  • Testou os produtos, que foram posteriormente controlados, revistos ​​e analisados ​​(4)
  • Participou nas reuniões de projetos (2), com membros da equipa técnica, analistas de negócios e stakeholders externos.
  • Formou e orientou (5) mais de 15 programadores e desenvolvedores juniores

 

Principal conquista: Desenvolvimento de sistema de automação (4) que conseguiu reduzir o tempo de teste em 55%.

Como deve ter reparado, o candidato não se limitou a encher a sua secção de experiência profissional com todas as suas funções anteriores. Em vez disso, ele listou apenas aquelas funções que mostram ao empregador que será o melhor candidato para lidar com os deveres e responsabilidades que ele procura para o posto de trabalho.

Além disso, este exemplo é ótimo porque também nos ajuda a perceber outras duas estratégias importantes para quem precisa de criar o currículo ideal para o posto de trabalho de sonho. As estratégias são, destacar sempre as suas principais conquistas e utilizar sempre palavras de acção para descrever as suas responsabilidades. Parece confuso? Mostramos-lhe a seguir como o candidato do exemplo anterior o conseguiu fazer.

 

A – Destacar as principais conquistas

 

Neste caso o candidato conseguiu isso acrescentando uma nota final com a sua principal conquista ao desempenhar as funções dos trabalho anterior:

 

Principal conquista: Desenvolvido de sistema de automação que conseguiu reduzir o tempo de teste em 55%.

 

Na verdade, ele limitou-se a utilizar a fórmula PAR (Problem Action Result) que descreve o problema, a ação que foi executada e o resultado dessa mesma ação:

 

  • Problema: o teste era muito demorado;
  • Ação: desenvolveu uma ferramenta para automatizar os testes;
  • Resultado: tempo de teste reduzido para 55%.

 

Além disso, lembre-se de que, como programador, tem de ser um profissional rápido e eficiente. Por isso, recomendamos que quantifique sempre que possível as suas principais conquistas.

 

B – Utilizar palavras de ação para descrever responsabilidades

 

Projetou e Desenvolveu” ou “Formou e orientou” soa muito melhor do que “Design de projetos de aplicações” e “formação e orientação”. São expressões que denotam uma pro atividade e uma ação do candidato que para quem está a ler dá uma sensação de profissionalismo diferentes dos termos genéricos que já estamos habituados.

Outra boa dica que pode utilizar no seu currículo de programador e que só lhe vai agregar valor é a seguinte. Se os seus projetos estiverem disponíveis online, inclua os links para o seu portfólio por baixo da lista dos seus antigos empregadores. Isso é particularmente importante se estiver a criar um currículo de programador freelance ou então um currículo de programador autodidata. Vincular os bons projetos num currículo com trabalhos de programação é tão importante quanto descrever o seu histórico de trabalho.

Mas, se acabou agora a sua formação académica e ainda não tiver muita experiência ou talvez nenhuma em programação? Mostramos-lhe a seguir algumas das coisas que pode incluir no seu currículo e que o podem ajudar a conseguir o seu primeiro emprego na área da programação.

 

Como criar um currículo de programador sem ter experiência?

 

Sim, mesmo sem nenhuma experiencia profissional, temos uma boa notícia para si, é muito fácil conseguir online alguns projetos de programação para acrescentar ao seu currículo. Normalmente são projetos pequenos e simples que não demoram mais do que alguns dias a concluir. São úteis para depois poder mostrar aos seus futuros empregadores como prova da sua experiência com a programação.

Mostramos a seguir algumas ideias de projetos de programação que pode desenvolver para enriquecer o seu currículo de programadas:

 

  • Desenvolver projetos freelancers
  • Publicar o seu código no Github
  • Contribuir para iniciativas de código aberto e freeware
  • Participar em Hackathons

 

Conhece outras dicas para criar e melhorar a secção da experiência profissional do seu currículo de trabalho deixe um comentário no final deste artigo e teremos todo o gosto em partilhar com os nossos leitores.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 4

 

 

4 – Como incluir projetos de programação no currículo

 

Se é um programador, provavelmente já se apercebeu que a sua carreira não se resume apenas a um horário das 9 às 5, mas também ao desenvolvimento de projetos. Ter uma lista de projetos de programação no seu currículo é uma das coisas que gestores de recursos humanos procuram. Por isso, sempre que possível, adicione uma secção “Projetos” por baixo da secção da sua experiência profissional.

O truque é concentre-se sempre nos seus projectos que sejam mais relevantes para o posto de trabalho ao qual se está a candidatar. Por exemplo, se se está a candidatar a uma posição numa start-up inovadora e descontraída, deve acrescentar ao seu currículo, links para alguns dos seus projetos mais divertidos e criativos.

Por outro lado, se está à procura de um emprego numa empresa de tecnologia corporativa mais séria, deve escolher os projetos que demonstrem a sua proficiência em programação e a sua capacidade de seguir instruções.

Mas, se ainda não tem muitos projetos de programação para escolher, lembre-se de que, para a maioria dos recrutadores, qualquer tipo de projeto de programação normalmente é melhor que nunca ter participado em nenhum.

Aliás, mesmo os projetos de programação que teve de fazer nas aulas podem e devem ser incluídos num currículo de programador de nível básico. Ou seja, pode utilizá-los para provar que o seu conhecimento técnico é útil para um ambiente profissional.

Outra coisa muito importante é que se colocar um projeto de programação no seu currículo, tem de estar preparado para responder a algumas perguntas mais detalhadas como: “O que foi difícil nesse projeto?” “O que aprendeu com o projeto?” “Qual foi o seu maior desafio?” O ideal é não exagerar na descrição de um projeto e não fazer parecer que fez mais do que realmente fez. Pode achar que enriquece o currículo, mas na realidade acabar por ser algo que o irá prejudicar. Basicamente porque durante a entrevista pode perder a confiança do recrutador, o que é muito grave.

Tem mais algumas ideias para as secções de currículo de programador? Deixe-nos um comentário no final do artigo e termos todo o gosto em inserir as suas ideias no conteúdo para que outros programadores consigam melhorar os seus currículos.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 5

 

 

5 – Que habilitações incluir num currículo de programador?

 

Chegamos à parte mais fácil da criação de um currículo que é a secção da formação académica. Na maioria das vezes, é obrigado a ter um diploma de uma licenciatura, mas a sua educação académica muitas vezes não é o foco principal dos recrutadores. Se for esse o caso, tudo o que precisa de fazer é inserir no currículo apenas o grau mais alto das suas habilitações académicas. Inclua, por exemplo, a sua especialização, o nome e o local da faculdade e as datas de início e termo do curso, mesmo que ainda não tenha terminado e seja apenas uma data prevista.

Mostramos-lhe a seguir o que habilitações académicas deve incluir num bom currículo de programador:

 

Que habilitações incluir num currículo do programador

 

“2012 – Licenciatura em Ciências da Computação

Universidade de Iowa, City, IA”

Prece-lhe muito pouco? Acredite que não há nenhum problema em incluir poucos detalhes na sua secção de habilitações. Ou seja, deve incluir apenas aquilo que for excecionalmente interessante ou relevante para o cargo a que está a concorrer. Lembre-se que menos pode ser mais, e neste caso como provavelmente vai ter de anexar os seus certificados de habilitações, não é boa ideia estar a encher o currículo de palha que vai desviar a atenção do que realmente interessa para o recrutador.

Outra dica é que não deve incluir as unidades curriculares e muito menos as notas que teve em cada uma delas, a menos que a descrição da oferta de trabalho assim o exija. Mesmo que tenha tido excelentes notas e até tenha uma média de final de curso de que se orgulhe, lembre-se que essa informação faz parte do seu certificado de habilitações que vai juntar ao currículo.

Se o fizer vai parecer que está a “gabar-se” daquilo que tem e não é isso que o empregador quer saber. Ele quer é saber o que consegue obter de si se eventualmente o contratar. Ou seja, não lhe importa o que tem, mas sim aquilo que consegue dar à organização.

 

Como criar um currículo de um programador sem habilitações académicas?

 

Não se preocupe se não tem habilitações académicas ou se o seu diploma universitário tem pouco a ver com a ciência da computação. Programas de formação online, bootcamps e outros cursos são suficientes para construir um argumento forte para incluir na sua secção de habilitações. Atualmente, a maioria dos recrutadores já não liga tanto ao que temos, mas mais aquilo que conseguimos dar.

O ideal será conseguir provar ao recrutador que apesar de não ter nenhum diploma ou certificado que comprove as suas capacidades, possui as habilidades necessárias para desempenhar de forma exemplar o cargo a que se está a candidatar.

Tem mais alguma ideia sobre a secção de habilitações de um currículo para um cargo de programador? Deixe-nos por favor um comentário no final deste artigo e com certeza que incluiremos a sua ideia no mesmo de forma a ajudarmos todos aqueles que estão a passar pela mesma situação que já passou ou que ainda está a passar.8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 6

 

 

6 – Como inserir as habilidades num currículo de programador?

 

Parece-nos que chegamos à parte mais complicada da criação de um bom currículo de programador que é listar as habilidades de programação. Digamos que esteja familiarizado com mais de 10 linguagens de programação e que está tentado a inseri-las no seu currículo de programador.

 

“C, C++, Java, JavaScript, Perl, Python, Go, Visual Basic, HTML, Cobol, Swift, Lua…”

 

Provavelmente parece-lhe uma excelente lista de habilidades que pode colocar num currículo de programação, certo? Mas saiba que está completamente errado… Apesar de estar familiarizado com todas essas linguagens de programação, muito provavelmente não é nenhum especialista em todas elas. Aliás, muito provavelmente, a maioria dessas linguagens de programação é irrelevante para o trabalho que está a concorrer.

Mais uma vez, recomendamos que adapte o seu currículo de forma a conseguir atender às necessidades e expectativas de quem publicou o anúncio de emprego ou do próprio recrutador Mostramos a seguir algumas dicas que pode seguir para conseguir atingir esse objetivo e talvez ser o escolhido para o novo cargo que tanto deseja naquela empresa de sonho que já acompanha algum tempo.

 

Como escolher as habilidades a incluir num currículo de programador

 

Para conseguir escolher de todas as suas habilidades quais são aquelas que deve escolher para colocar num currículo para um determinado posto de trabalho ao qual está a concorrer deve começar por fazer o seguinte:

  1. Listar numa folha de cálculo todas as suas principais habilidades.
  2. Ler o anúncio de emprego e procurar pelas palavras-chave relacionadas com as habilidades. São expressões que se referem, por exemplo, a linguagens de programação, utilização de softwares específicos, pontualidade, organização e trabalho em equipa.
  3. Finalmente, organize as suas habilidades que colocou na lista com aquelas que o seu empregador está à procura.

 

Prece-lhe algo subjetivo e confuso? OK, vamos tentar dar um exemplo para tentarmos demonstrar como o consegue fazer de forma simples e eficaz. Para isso vamos mostrar-lhe a seguir uma proposta de emprego, com as habilidades e a experiência que o recrutador procura e qual será a melhor abordagem para conseguir responder a essa proposta. A oferta de emprego está relacionada com um posto de trabalho para um programador SAS.

 

Habilidades e experiência necessária para o posto de programador SAS:

 

  • Mínimo de 5 anos de experiência em programação SAS – nível especialista (1)
  • Mínimo de 5 anos de experiência com o SAS Enterprise Guide (2)
  • Preferência para experiência com pontuação SAS(3) e Code Accelerator (4)
  • Mínimo de 5 anos de experiência prática a trabalhar com grandes conjuntos de dados com conhecimento de SAS e/ou SQL
  • Preferência para experiência com o SAS Management Console
  • Trabalhar com equipa de analistas (4) e colaborar com colegas com formação técnica e não técnica (5)

 

Descubra a seguir como deve ser redigida a secção das habilidades técnicas de um currículo de um candidato que pretenda concorrer ao posto de trabalho para programador SAS que indicamos atrás.

 

Habilidades relevantes para o currículo de programador SAS:

 

  • Conhecimento avançado de programação SAS (+8 anos de experiência) (1)
  • Proficiente nos seguintes produtos SAS:
    • SAS/Guia Empresarial (2)
    • Acelerador de pontuação SAS (3)
    • Acelerador de Código SAS (4)
  • Boa capacidade de trabalho em equipa: trabalhou com equipas com mais de 10 analistas (4) e especialistas em marketing com poucos conhecimentos técnicos (5)

 

Booomm, em poucas palavras, conseguiu acertar em cheio…. Qualquer recrutador que leia este currículo chegará a mesma conclusão que acabou de chegar. Este é o candidato ideal para preencher o posto de trabalho que a empresa está à procura.

Tenha sempre em mente que o seu currículo de programador de computador não deve ser construido para mostrar o quão grande profissional você é, mas sim o quão bem irá conseguir executar o trabalho específico a que se está a propor. Por isso, uma lista personalizada de habilidades de programação num currículo irá facilitar a escolha do seu recrutador, que provavelmente optará por si em detrimento de outros candidatos.

 

Como não incluir nas habilidades de um currículo de programador

 

Outra dica também importante que frequentemente vemos aqui no Informatico.pt é o facto de os candidatos normalmente incluírem nos seus currículos coisas menos relevantes. Claro que se é bom programador, é um utilizador avançado de computadores. Por isso não há necessidade de mencionar no seu currículo de programador as habilidades básicas de utilização de software. É uma coisa que pode parecer pouco profissional para o recrutador e fazer com que seja excluído da próxima fase de seleção.

Tem mais ideias sobre como fazer uma boa secção de habilidades de currículo para programadores? Deixe-nos um comentário no final deste artigo e teremos todo o gosto em incluir essa ideia neste artigo.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 7

 

 

7 – Que outras coisas adicionar a um currículo de programador?

 

O problema com os currículos dos programadores é que normalmente são muito idênticos porque eles têm quase sempre as mesmas responsabilidades, habilidades e formação académica. Isto pode até parecer um problema, mas na realidade é uma excelente oportunidade para se destacar da restante multidão.

 

Algumas ideias para incluir no seu currículo de programador:

 

  • Certificações e qualificações profissionais
  • Publicações em revistas
  • Autor de blogs ou sites no setor
  • Fluência em línguas estrangeiras
  • Experiência em ações de voluntariado

 

Além disso, se tiver um portfólio online que funcione como um site de currículo, será uma boa ideia incluir um link para esse site na sua secção de informações de contacto. Também não há problema se decidir incluir os links para os perfis das suas redes sociais, especialmente o Github. Na verdade, se é um utilizador assíduo do Github e se muitos dos seus projetos estão disponíveis online, é uma boa ideia inserir no seu currículo uma lista com esses links.

Se está a criar um currículo de programador para um profissional com pouca experiencia e que ainda não tem nada destas coisas que indicamos atrás. Então talvez seja uma boa ideia, em alternativa, acrescentar uma secção de passatempos e interesses. Com isso pode conseguir provar que será uma mais-valia cultural para a empresa. Pode parecer patético, mas acredite que isso, hoje em dia, está a tornar-se cada vez mais importante.

Mas mesmo assim, se sentir que não tem nada que o faça brilhar, não se preocupe porque isso é fácil de conseguir. Basta ter boas ideias de projetos para acrescentar a secção adicional do seu currículo de programação. Podem ser, por exemplo, o facto de estar a escrever guest posts para um blog do setor, estar a fazer cursos on-line adicionais, participar em conferências ou hackathons. Tudo isso demonstra interesse e pro atividade da sua parte em relação à área para a qual se está a candidatar.

Tem mais algumas boas ideias para se incluírem na secção extra de um currículo de programador? Escreva-nos uma mensagem ou deixe um comentário no final deste artigo e será incluída no seu conteúdo.

 

8 dicas simples para criar um Currículo de Programador de sucesso 8

 

 

8 – Devo criar uma carta de apresentação de programador?

 

Nesta fase há muitos que se perguntam o seguinte. Será que me devo dar ao trabalho de criar uma carta de apresentação do meu trabalho de programador? A nossa resposta é com uma pergunta… Mas afinal de contas quer o emprego ou não? Na realidade, uma boa carta de apresentação de um programador pode ser utilizada a seu favor e ser uma enorme vantagem porque conta uma história que o seu currículo não consegue.

Sobretudo se é um principiante e anda à procura do seu primeiro emprego em TI ou então de um estágio profissional como programador. Prece ser uma coisa muito difícil de conseguir sobretudo nos dias que correm. Mas acredite que é mais fácil do que aquilo que julga, sobretudo se tiver uma boa carta de apresentação, independentemente de ter ou não um currículo.

Por exemplo, se anexar uma carta de apresentação ao currículo que vai enviar para um estágio em programação, poderá conseguir destacar a sua criatividade e explicar porque é que está interessado em trabalhar numa determinada empresa. Ainda não está convencido? Sabia que quase 45 em cada 100 recrutadores não abrir o seu currículo se não for acompanhado por uma carta de apresentação.

Sim, é verdade, infelizmente os números não mentem e é escusado argumentar. Deve mesmo escrever uma carta de apresentação para juntar ao seu currículo. Mesmo que não seja pedida diretamente no anúncio de emprego porque assim irá duplicar as suas hipóteses de ser contratado.

Depois de enviar o seu currículo de programador, não se esqueça de anexar também a sua carta de apresentação a acompanhar. Não levará mais de um minuto a criar a sua carta de apresentação e pode fazer toda a diferença para os empregadores. Além disso, uma boa carta de apresentação que corresponda aos requisitos do emprego pode ser uma vantagem relativamente aos outros candidatos.

E tiver mais alguma dica extra, sobre como aproveitar ao máximo a sua carta de apresentação, mande-nos por favor uma mensagem ou deixe por favor um comentário no final deste artigo.

 

YouTube video

 

Conclusões e dicas importantes

 

Mesmo que seja o melhor profissional e que tenha as melhores habilidades em termos de programação, primeiro tem de chamar a atenção do recrutador com o seu currículo de programador.

Comece o currículo com um bom resumo do conteúdo ou então um parágrafo com o objetivo do documento. Deve focar-se sobretudo nos benefícios que a sua contratação irá trazer para o seu futuro empregador.

Adapte sempre o seu currículo à descrição do posto de trabalho a que se está a candidatar. Não descreva todas as suas habilidades na programação e não torne a secção de experiência profissional demasiado extensa. Concentre-se sempre apenas naquilo que realmente é relevante para o novo posto de trabalho.

Na secção de experiência profissional, acrescente um link para o seu portfólio online e links para os seus projetos paralelos relacionados com o trabalho a que se está a candidatar. Dessa forma, não irá precisar de dizer ao recrutador o quanto é bom, porque ele irá acabar por perceber isso sozinho ao ler o seu currículo.

Tem outras formas de descrever as habilidades profissionais ou as linguagens de programação que domina, num currículo para programadores? Conhece algumas dicas interessantes para listar as principais conquistas num currículo? Deixe-nos um comentário, e tentaremos incluir essa informação neste artigo.

 

Tabela de conteúdo

António Almeida

António Almeida

Licenciado em engenharia Informático e Telecomunicações, mestre em Sistemas e Tecnologias de Informação e doutorando em Informática é um apaixonado por todo o tipo de tecnologia. Apostava na troca de informações e acaba de criar uma rede de informáticos especialistas interessados em tecnologia.

PRÓXIMOS ARTIGOS:

ARTIGOS RELACIONADOS:

COMENTÁRIOS E OPINIÕES:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

AVISO:

Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de carácter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

×